Sindipetro-NF demonstra preocupação com inserção de mulheres no mercado

Mulher trabalhando - Arquivo

O Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos do Sindicato dos Petroleiros do Norte Fluminense (Sindipetro-NF) divulgou dois trabalhos especiais elaborados para o Dia Internacional da Mulher para mostrar a realidade e instrumentalizar a discussão acerca dos desafios e desigualdades constantes no mercado de trabalho e sobre a inserção de mulheres do mercado.

Um trecho do Boletim publicado pelo órgão aponta que as mulheres, que são a maioria da população, estão sub-representadas nos espaços políticos e de poder, e, por essa razão, é muito difícil colocar no debate legislativo as questões femininas. Nas eleições de 2022, mesmo com o aumento das candidaturas femininas – 33,3% de registros a mais nas esferas federal, estadual e distrital, segundo a Agência Senado -, apenas 302 mulheres, no total, conseguiram se eleger para a Câmara dos Deputados, o Senado, Assembleias Legislativas e governos estaduais, enquanto o número de homens eleitos chegou a 1.3941.

A baixa participação das mulheres na política e nos espaços de liderança inviabiliza as pautas temáticas sobre gênero, dificultando mudanças. É necessário criar condições objetivas de participação feminina em todos os espaços de atuação, que levem em conta horários e a vida familiar, a maternidade, sem que as mulheres sejam obrigadas a escolher entre carreira, política ou família.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here