Quissamã tem primeiro caso confirmado de coronavírus e também fecha o comércio

Apenas os estabelecimentos que vendem produtos essenciais continuam funcionando

A cidade de Quissamã registrou o primeiro caso confirmado de coronavírus. Como forma de prevenção para evitar novos casos, a prefeitura determinou o fechamento do comércio a partir deste sábado (11). Outros municípios como Campos, São João da Barra, Macaé e São Francisco de Itabapoana também criaram restrições para a área comercial.

A decisão da Prefeitura de Quissamã foi publicada no Diário Oficial e cita ainda que foi prorrogado até o dia 20 de abril a suspensão dos atendimentos presenciais no prédio da Prefeitura; por tempo indeterminado a realização de eventos desportivos, shows, passeatas e carreatas; de 11 a 20 de abril o funcionamento do comércio em geral, devendo os estabelecimentos permanecerem fechados para o atendimento presencial ao público em bares, restaurantes, clubes, confecções, lojas em geral, salões de beleza, barbearias, comércio varejista, atacadistas e estabelecimentos congêneres, devendo os serviços e atendimentos serem feitos por meio de sistemas de entrega (delivery), onde couber; as aulas em toda a rede pública municipal de ensino, sem prejuízo do cumprimento do calendário escolar estabelecido pelo Ministério da Educação bem como as atividades de academias de ginástica, escolas ou centros de artes marciais, clínicas de fisioterapia, pilates, yoga e similares; redução de 20% (vinte por cento) da circulação de linhas intramunicipais de transporte coletivo de passageiros; todas as reuniões, celebrações religiosas, encontros, cultos, atividades festivas, nos templos e nos demais espaços destinados às atividades religiosas de quaisquer credos ou religiões, que impliquem aglomeração de qualquer número de pessoas, dentre outros.

Há ainda a liberação do comercio de artigos essenciais como supermercados, farmácias, laboratórios, clínicas médicas, mercados, padarias, açougues, estabelecimentos de fornecimento de água potável, venda e entrega de gás tipo GLP, postos de combustíveis, loja de produtos veterinários e alimentação animal, venda de materiais de construção, ferragens e equipamentos de proteção individual. Já os estabelecimentos comerciais como lanchonetes, pizzarias, quiosques e trailers, funcionam somente para a retirada de produtos no próprio estabelecimento, vedada, em qualquer hipótese, a permanência continuada para consumo no local.

Redação
Redação Administrator
O Milênio

Comentários