Quase 70% dos mortos por coronavírus no Estado do Rio são idosos

Cidades do interior como Macaé, Arraial do Cabo e Rio das Ostras registraram mortes de pessoas com mais de 60 anos, enquanto em Campos, o primeiro óbito foi uma vítima de 39

Foto: Brenno Carvalho

Com 155 mortes confirmadas até o fim da tarde deste sábado pelas autoridades de Saúde, o estado do Rio de Janeiro vem seguindo uma tendência mundial. A maior parte dos óbitos registrados é entre os idosos. Cidades do interior como Macaé, Arraial do Cabo e Rio das Ostras registraram mortes de pessoas com mais de 60 anos, enquanto em Campos, o primeiro óbito foi uma vítima de 39.

Na capital, 67,8% das mortes foram de pacientes entre a população com 60 anos ou mais. Se o recorte for feito nos casos do Estado, esse percentual está em 69,67%. Na capital, cinco bairros que registram três mortes ou mais têm média etária a partir dos 60 anos. Com o balanço divulgado ontem, a Tijuca passou a ter nesse momento a maior média etária de óbitos da cidade: 78 anos. Copacabana, que com oito mortes lidera as estatísticas de óbitos por bairro, agora está em segundo com média de 77 anos. A média de idade dos mortos é de 67,8 anos.

Entre as cidades do interior, uma das que chama a atenção é Volta Redonda. Todos os seis óbitos registrados na cidade ocorreram entre idosos, dos quais quatro deles tinha entre 60 anos e 69 anos e dois estavam na faixa dos 70 anos.

Redação
Redação Administrator
O Milênio