PM de Campos lamenta morte de policial que virou “símbolo da luta contra o tráfico de drogas”

Maria se destacou no combate ao tráfico após ter tido a família assassinada em uma comunidade do Rio

Foto: Divulgação

A policial militar Maria de Fátima da Silveira, de 64 anos, morreu nesse domingo (18) vítima de uma sepse pulmonar no Rio de Janeiro. A morte foi lamentada pelo 8º Batalhão de Polícia Militar (Campos), que afirmou que a idosa era um símbolo da luta contra o tráfico de drogas.

“O 8° Batalhão lamenta profundamente a perda de Maria de Fátima da Silveira, conhecida por todos dentro da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro como Maria do 18º. Ela foi um ser humano ímpar e muito querida por toda a tropa. Dona Maria foi uma grande amiga, que contagiava a todos com sua alegria. Uma mulher de muita fibra, amável, dócil, e que conviveu durante todos esses anos em meio aos policiais de forma harmônica e respeitosa, onde jamais será esquecida. Maria foi uma lenda em toda Corporação e estará eternizada dentro de todos nós”, diz o texto.

A policial é considerada um símbolo da luta contra o tráfico de drogas, já que a família dela foi morta por traficantes de uma comunidade da capital, e ela na época com 25 anos, foi expulsa da comunidade, sendo resgatada por policiais militares que atuavam no DPO da área e levada para o 18° Batalhão (Jacarepaguá), onde residiu por quase 40 anos”, diz a nota da PM.

Comentários