Músico preso após ser confundido com filho de traficante é solto e é recebido com festa em Macaé

A foto mostra Vinícius se abraçando com uma parente #PraCegoVer - Foto: Arquivo pessoal

Depois de passar mais de uma semana na cadeia, Vinícius Matheus Barreto Teixeira, de 21 anos, retornou para casa, em Macaé, e foi recebido com festa por amigos e parentes na noite dessa quarta-feira (13). Eles se reuniram na igreja que o jovem frequenta em Macaé.

O músico foi solto no início da tarde desta quarta (13), depois de ter passado 9 dias preso por ter sido confundido com o filho do traficante ‘Feio’. Para recepcionar Vinícius, os amigos prepararam um churrasco, com direito a cartaz de boas-vindas e balões.

“É uma sensação muito boa estar em casa.  muito feliz. Sou eternamente grato a todos”, disse o jovem. Já fora da prisão, Vinícius gravou um vídeo agradecendo apoiadores e imprensa. O jovem também fez um desabafo sobre a prisão e os momentos que passou na cadeia. “Foram momentos difíceis que eu passei lá dentro daquela prisão e isso é uma coisa que não pode acontecer. Um inocente ir parar na cadeia por causa de um nome. Eu sou nascido e criado em Macaé e fui acusado de um crime que aconteceu no Rio, sendo que nem no Rio eu nunca vim”, disse Vinícius.

Vinícius foi preso no dia 4 de outubro, em Macaé, no Norte Fluminense, acusado de associação ao tráfico. Ele não tinha antecedentes criminais.

Confundido com filho de traficante

Os parentes afirmam que Vinícius foi confundido com o filho de um chefe do tráfico do Morro do Palácio, em Niterói. O criminoso tem exatamente o mesmo nome do pai dele.

No último sábado (9), o pai e a mãe de Vinícius conseguiram visitar o jovem e informaram sobre a situação do processo. “Passamos tudo isso pra ele, o que está acontecendo, e ele tá entendendo que foi um erro, que não tá certo o que estão fazendo”, disse a mãe de Vinícius.

Erro na investigação

Em 2017, um inquérito na Delegacia de Niterói, na Região Metropolitana do Rio, investigou o tráfico no Morro do Palácio.

Na época, a delegacia era chefiada pelo delegado Gláucio Paz da Silva e a polícia identificou o traficante Messias Gomes Teixeira, conhecido como “Feio”, como o líder do crime na favela. “Feio” foi preso em 2018.

Em uma delação colhida pela polícia, foi relatado que o filho de “Feio” seria responsável por recolher o dinheiro da venda de drogas na comunidade. O filho do traficante foi identificado pela polícia como Vinícius Matheus Barreto Teixeira.

Em 2018, na denúncia da promotora Elisabete Barbosa Abreu, o Ministério Público também afirmou que Vinícius recolhia o dinheiro no morro por ser filho do traficante “Feio”.

Com base nessas acusações, Vinícius teve a prisão decretada e depois foi condenado em primeira instância pelo juiz João Guilherme Rosas Filho.

O pai de Vinícius também se chama Messias Gomes Teixeira, assim como o traficante “Feio”, mas são pessoas diferentes. Tudo indica no inquérito e no processo que o filho do Messias traficante também está envolvido com o crime. Contudo, nem a polícia e nem a Justiça sabem o nome dele.

Fonte: G1

Redação Administrator
O Milênio

Comentários