Morre professora que fez campanha por doação de medula óssea em Campos

Patrícia Cristina chegou a receber o transplante de medula, mas teve complicações e morreu

Foto: Rede social

Morreu neste final de semana, a professora Patrícia Cristina Lindolpho, de 35 anos. Ela era uma paciente oncológica de Campos e participou de campanhas importantes de doação de medula óssea. A campista recebeu a doação de uma medula no último dia 6, mas teve complicações e morreu.

De acordo com a família de Patrícia, ela faleceu em decorrência da doença conhecida como VOD (doença veno–oclusiva), que atinge alguns pacientes que fazem o transplante. Ela estava internada no Complexo Hospitalar de Niterói, mas não resistiu. A morte causou dezenas de lamentações nas redes sociais.

A professora dava aulas no Colégio João Paulo II. A escola suspendeu as atividades nesta segunda-feira (17) em homenagem a funcionária. “A direção-geral decreta luto oficial e informa que, em homenagem à nossa funcionária e respeito à família, manhã, dia 17, não haverá aulas para os turnos da manhã e tarde”, disse a direção da instituição.

O corpo foi enterrado no final da tarde deste domingo (16) no Cemitério Campo da Paz.

Em outubro de 2019, a organização da campanha de cadastramento de doadores de medula óssea mobilizou quase quatro mil pessoas. Patrícia e Priscilla, que necessitavam do tranisplante, conseguiram doadores 100% compatíveis.

Redação
Redação Administrator
O Milênio