Moradores reclamam de abandono do Parque São Benedito, em Campos

Foto: Leitor/O Milênio

O maior problema da saúde neste momento é a pandemia do coronavírus, mas está comprovado que o mosquito Aedes aegypti também pode trazer complexidades e provocar até mortes em seres humanos.

Moradores do Parque São Benedito entraram em contato com o jornal O Milênio para denunciar um problema antigo: falta de coleta de lixo, terrenos com mato alto e inúmeros focos de mosquitos, já que o carro fumacê e agentes do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) não circulam pela região.

“O Parque São Benedito está abandonado. Moro perto do cruzamento da Travessa Figueira com a Travessa Ana Martins e aqui tem muitos terrenos abandonados. Já chamamos o CCZ, mas o carro fumacê nunca vem. Além disso, a coleta de lixo nunca é feita. O valão está cheio de mato e com vários focos de mosquito”, reclamou um morador.

Nossa equipe de reportagem questionou a Prefeitura de Campos para saber uma posição. Em nota, o governo municipal informou que segundo o diretor do CCZ, Carlos Morales, o último levantamento do  LIRAa (Índice Rápido de Infestação do Mosquito Aedes Aegypti), constatou um índice de 4.4, no entanto, esse foi um levantamento atípico por conta da Coovid-19, já que muitos moradores não abriram suas casas para que os agentes pudessem fazer o trabalho de combate.

A nota diz ainda que o CCZ possui dois veículos fumacê que trabalham durante o dia e a noite em vários bairros. Por conta do levantamento, a rota desses carros foi elaborada com prioridade de trabalho para os locais que apontaram maior índice de casos. Ainda segundo a prefeitura, os serviços seguem um cronograma e o bairro receberá o carro fumacê na próxima semana. O CCZ pede que as pessoas não joguem lixo em locais inadequados porque a ação causa transtornos para os próprios moradores. 

Redação
Redação Administrator
O Milênio

Comentários