Moradores do Jardim Carioca, em Campos, interditam trânsito durante protesto

Foto: Divulgação

Moradores do bairro Jardim Carioca, em Campos, interditaram parcialmente a Avenida Francisco Lamego, em frente a Vila Olímpica, na tarde desta quarta-feira (26). O motivo do protesto foi a falta de manutenção da Vila durante o período da pandemia e o atraso no pagamento dos funcionários que atuam por Recibo de Pagamento Autônomo (RPA).

Com galhos e pneus em chamas, a interdição durou mais de uma hora e deixou o trânsito lento. Os manifestantes afirmam que o mato do local está alto e que a piscina está com água parada, podendo assim, causar a proliferação do mosquito causador de doenças como a dengue, chikungunya e zika vírus.

Em nota, a prefeitura negou o abandono do local e informou que a Vila está fechada devido à pandemia. “A Fundação Municipal de Esportes informa que, em virtude da pandemia da Covid-19, foi necessário o fechamento temporário do CEDE Lulu Beda, no Jardim Carioca , e outras unidades, em cumprimento ao decreto para evitar aglomerações e consequente propagação do novo coronavírus. Vale ressaltar também a atual situação econômica do município, com queda na arrecadação própria, redução nos royalties do petróleo e saldo zero na participação especial. A FME ressalta que as piscinas são tratadas com produtos para evitar a proliferação de mosquitos”, diz a nota.

Em relação ao pagamento dos RPAs, a prefeitura informou que está estudando uma forma de realizar o pagamento, mas não divulgou uma data. “Pagamentos são realizados à medida que o município recalcula as contas, diante das receitas mensais. A Prefeitura já vem estudando e viabilizando alternativas para realização de pagamentos prioritários e, gradativamente, faz estes pagamentos- como dos Prestadores de Serviço por Recibo de Pagamento Autônomo (RPA)- mesmo em meio a brusca queda de arrecadação. Ainda que os royalties tenham vindo com alta em relação ao mês anterior, o Município já acumula perdas de R$ 186 milhões, somente este ano, em receitas oriundas do petróleo”, informou a prefeitura.

Redação
Redação Administrator
O Milênio