Hospital Plantadores de Cana, em Campos, pode ter energia cortada

O Santa Casa de Misericórdia também passa por dificuldades e critica a prefeitura

Foto: Arquivo

Os hospitais filantrópicos de Campos seguem em uma situação complexa. Nesta quinta-feira (23), os diretores das unidades participaram de uma entrevista coletiva e deram detalhes sobre os problemas que os locais seguem enfrentando. Entre as maiores dificuldades, está a situação do Hospital Plantadores de Cana (HPC), que pode ter a energia cortada.

De acordo com o diretor do HPC, Frederico Paes, a unidade está sem recursos para se manter e disse sobre os problemas que podem ser gerados em um possível corte de energia. “Vou me reunir com os diretores do Hospital Plantadores de Cana para saber até quando poderemos mantê-lo na ativa. Não temos recursos e a situação é tão crítica que a qualquer momento, poderemos ter a energia cortada. Como um hospital funciona sem energia? Nossos geradores não conseguem manter todo o maquinário ligado por mais de 24 horas”, questionou.

Frederico também afirmou que os funcionários estão com salários atrasados e que o valor da dívida da prefeitura com o hospital é de cerca de R$ 10 milhões. O diretor do Santa Casa de Misericórdia, Cléber Glória, também afirmou que a situação no hospital que ele administra, é crítica. “No Santa Casa, também por passamos por grandes dificuldades e não há previsão de pagamento dos recursos municipais. Falta organização na prefeitura que tem causado problemas para todos. Precisamos pagar os salários e precisamos fazer a manutenção de equipamentos”, afirmou.

Procurada pela equipe de reportagem do jornal O Milênio, a prefeitura afirmou que a previsão é que o valor do repasse federal aos hospitais contratualizados possa ser feito ainda esta semana, mas não deu prazo sobre o pagamento dos recursos municipais.

Redação Administrator
O Milênio

Comentários