Franceses em volta ao mundo passam por São Francisco de Itabapoana

Foto: Supcom

O casal de franceses Bruno e Isabelle Frébourg, de 60 e 63 anos, que estão juntos há quatro décadas, iniciaram em abril de 2006 o projeto de dar a volta ao mundo e durante o percurso, passou pelo município de São Francisco de Itabapoana (SFI), onde ficaram um dia e foram embora nesta quinta-feira (14). Recentemente eles passaram por outras cidades fluminenses como Cabo Frio, na Região dos Lagos, e Paraty, na Costa Verde.

Assim que chegaram a SFI, os franceses procuraram a sede da prefeitura. “Em todos os lugares por onde passamos, as autoridades nos ajudam oferecendo um lugar para descansar. Em cidades maiores, como Rio de Janeiro e São Paulo, passamos dois ou três dias”, afirmou Bruno, que intercalava um pouco de português com inglês e francês. Segundo eles, a estadia em território são franciscano foi curta, pois precisam chegar em Recife até oito de março. A data marca a expiração do visto e o início de uma nova etapa da volta ao mundo, quando vão embarcar em um barco em direção a Dakar, capital do Senegal. De acordo com o site “Roues Libres”, atualizado semanalmente pelos viajantes, países como Rússia, Coréia do Sul, Japão, Filipinas, Austrália, Vietnã e Canadá já foram percorridos.

Sobre a ideia de se aventurar pelo mundo, o casal afirma que o objetivo é conhecer novas tradições, culturas e comidas. O casal utiliza para fazer o percurso, principalmente, transportes como barcos e bicicletas. Bruno contou que eles têm uma filha de 38 anos que ficou muito preocupada com a aventura dos pais, mas não foi empecilho para eles seguirem adiante. Nas bicicletas, trazem os poucos utensílios indispensáveis para o trajeto de quase 150 mil km e um pedido de ajuda: “Nós não temos muito dinheiro. Precisamos de doações para comer”.

Com a pandemia, a viagem do casal precisou ser interrompida por um tempo e retornaram à terra natal em março, após a morte do pai de Bruno, e só conseguiu voltar ao Brasil em outubro, devido às medidas restritivas impostas aos voos internacionais. Segundo a prefeitura de SFI, quando questionado sobre as características mais marcantes do país, o casal, junto há 40 anos, respondeu prontamente: a hospitalidade e o acostamento nas estradas. Eles contaram agradecidos que, onde vivem, em Bailleul, na região da Normandia, não existe essa faixa adicional.

Comentários