Fragmentos de óleo são encontrados na praia de Grussaí, em São João da Barra

O óleo é compatível com o material encontrado no Nordeste e no Espírito Santo.

Foto: Divulgação/Marinha

Fragmentos de óleo foram encontrados na praia de Grussaí, em São João da Barra (SJB), nessa sexta-feira (22). A informação foi divulgada neste sábado (23) pela Marinha, que informou também que o material recolhido é compatível com o que já foi encontrado no Nordeste e no Espírito Santo.

Ainda segundo a Marinha, foram encontradas 300 gramas de óleo nas águas de Grussaí. Equipes da Secretaria Municipal de Meio Ambiente de SJB estão em contato com o Ibama para adotar os primeiros procedimentos. As autoridades de São João da Barra, São Francisco de Itabapoana e Quissamã já estavam preocupadas com a vinda das manchas de óleo para a região. As praias das outras duas cidades também podem ser atingidas.

A secretaria de Meio Ambiente de São Francisco de Itabapoana, Luciana Sofiatti, explica sobre a resistência do líquido. “Esse óleo não é um óleo comum que a gente vê vazar das plataformas brasileiras. Foi feito um experimento no laboratório que mostrou que o óleo não vem no fundo e nem na superfície, e sim no meio. Com a água gelada, o óleo vem como se fosse uma pedra. Quando chega próximo da areia, ele se espalha e vem para a superfície, que é quando a gente tem acesso a ele, já que nem por satélite dá para detectá-lo. Infelizmente, não tem como contê-lo com uma bóia. É uma situação difícil de controlar. Seguimos estudando a melhor forma de lidar com o problema”, afirmou.

Procurada pela equipe de reportagem do jornal O Milênio, a prefeitura de São João da Barra ainda não informou quais serão as primeiras medidas a serem adotadas.

Consequências

O óleo não prejudica apenas o meio ambiente, já que também pode provocar problemas de saúde nos banhistas. Caso um ser humano tenha contato com o líquido, os sintomas mais comuns são vermelhidão, coceira e ressecamento, que podem aparecer de seis horas a um dia após contato com as substâncias. Também podem acontecer complicações para as pessoas que realizarem a ingestão de peixes ou frutos do mar de áreas atingidas.

Redação
Redação Administrator
O Milênio