Filipe Ret é alvo de operação no Rio após suposta distribuição de maconha em show

Foto de Filipe Ret na frente do carro dele - Foto: Arquivo pessoal

O rapper Filipe Ret é alvo, nesta terça-feira (19), de uma operação da Polícia Civil do RJ, que investiga uma suposta distribuição gratuita de cigarros de maconha em uma festa na Zona Sul do Rio, há cerca de um mês.

Agentes da Delegacia de Repressão a Entorpecentes (DRE-RJ) saíram para cumprir cinco mandados de busca e apreensão em endereços ligados ao cantor no RJ, como a casa dele, em um prédio no Flamengo. Na residência, a equipe apreendeu maconha e material para enrolar cigarros. A quantidade não foi informada pela polícia.

O apartamento do Flamengo teve de ser aberto por um chaveiro, pois estava vazio, e Ret tinha se hospedado em um resort de luxo em Angra dos Reis. Um mandado também foi cumprido nesse hotel.

‘Open Beck’

A investigação começou no fim de junho, quando o próprio rapper postou em suas redes sociais fotos e vídeos de uma festa no Vivo Rio. No evento, chamado “Open Beck” (maconha liberada, na tradução livre), no último dia 21, Ret supostamente ofereceu maconha para os convidados.

A juíza Simone de Faria Ferraz, que expediu os mandados desta terça, afirma em sua decisão que “nas imagens (…) é possível identificar o investigado na referida festa, fumando e exibindo um balde cheio de cigarros enrolados de forma artesanal, similares a cigarros de maconha, e que aparentemente estariam disponíveis para consumo dos convidados”.

A polícia pediu as buscas para identificar outros possíveis envolvidos: “Fornecer droga, ainda que gratuitamente, é tráfico”, diz o delegado titular da DRE, delegado Marcus Amim.

Com o material apreendido, os agentes darão continuidade ao inquérito para identificar todos os envolvidos no crime em apuração.