Fiéis elaboram tapetes virtuais para comemorar a solenidade de Corpus Christi em Campos

Os municípios não terão as tradicionais procissões com os tapetes devido a pandemia do coronavírus

O designer Alício Gomes ficou responsável pela montagem dos tapetes virtuais - Foto: Diocese de Campos

Nesta quinta-feira (11) é celebrada a Solenidade de Corpus Christi, e a data sempre é marcada pelos tradicionais tapetes, além das procissões com Jesus Eucarístico. Diante da pandemia do novo coronavírus, a dolomita, pó de café, tampinhas, serragens e flores darão espaço à criatividade digital.

Na Diocese de Campos, a comemoração da Festa do Santíssimo Corpo e Sangue de Jesus também vai contar com um passeio com de Jesus Eucarístico, em carro aberto pelas principais ruas da região central de Campos. Para o Bispo Diocesano, Dom Roberto Francisco Ferrería Paz, a iniciativa dos tapetes virtuais surgiu de leigos e foi aprovada. “Este ano a Solenidade de Corpus Christi vai ter um clima e um contexto diferente, mas não faltará amor a Jesus Eucarístico. Vamos fazer um tapete virtual. È uma forma de mostrar que ninguém pode bloquear a passagem de Jesus, por nossas vidas e casas. É para mostrar que Jesus sempre é um caminho aberto, aliás, Ele é o caminho. E sendo assim passará novamente por cada casa”, declarou Dom Roberto.

Deka Netto Manhães é integrante da coordenação da Pastoral da Educação da Diocese de Campos, há 21 anos coordena a elaboração dos tapetes Eucarísticos. A tradição, que começou em 1959 na Paróquia São Gonçalo, no distrito de Goitacazes, com os sacerdotes Monsenhor Olivácio Martins e Monsenhor Joaquim, posteriormente a iniciativa foi levada para a sede da Diocese, pelo então bispo Dom Carlos Alberto Navarro. Segundo Deka, ao longo desse período várias pessoas deixaram a sua marca na confecção dos tapetes, que nos últimos anos eram sustentáveis.  “Este ano estava pensando no que fazer na elaboração dos tapetes, mas veio a pandemia. Mas como na vida da gente tudo muda, muda rotina e tradição, mas a nossa fé não modifica. Neste tempo de pandemia, pensamos que poderíamos fazer um tapete virtural, pois a Igreja está plenamente nas redes sociais. O padre responsável autorizou, começou a organização no último sábado. Os jovens que estão participando, pois são animados, participativos. Vamos manter esse tapete virtual com muito amor, muita alegria, a Jesus Eucarístico”, disse Deka.

A montagem dos tapetes ficou sob a responsabilidade do designer gráfico, formado pelo IFF, Alício Gomes, de 35 anos, que trabalha há 10 anos como ilustrador profissional de livros infantis, e auxilia a Pascom da Paróquia Nossa Senhora de Fátima, no bairro IPS. Alício é integrante da Comissão Diocesana responsável pela preparação dos tapetes. O vídeo será divulgado às 14h, nas redes sociais da Diocese de Campos.

De acordo com Dom Roberto Francisco, é adequado o grandioso sinal do Santíssimo Sacramento percorrendo as ruas. A piedade popular é importante porque mostra a fé do povo. “Este tapete virtual é uma iniciativa do Espírito Santo também. O tapete mostra o carinho, o amor que devemos ter com o Santíssimo Sacramento, que é a prova maior que Deus pode nos dar, que é ficar conosco para sempre”, afirmou Dom Roberto.

Na Diocese de Campos, a data será comemorada com a celebração da Santa Missa no Santuário de Adoração Eucarística, na Praça Batalhão Tiradentes, no Centro de Campos. Entretanto, cada paróquia irá realizar a celebração Eucarística, sem a presença de fiéis, e transmitir pelas redes sociais.

Após a Missa, haverá a transladação do Santíssimo Sacramento, com saída do Santuário de Adoração Eucarística. Este ano, como não haverá procissão, o percurso será maior e vai incluir as Paróquias Santa Teresinha (Pecuária), Nossa Senhora do Rosário (Parque Leopoldina), São Benedito (Centro) e a Sagrado Coração de Jesus (Parque Riachuelo).

História – A Solenidade em honra ao Corpo do Senhor – “Corpus Chisti” –, que hoje celebramos na quinta-feira após a oitava de Pentecostes, mais precisamente depois da festa da Santíssima Trindade, é oficializada somente em 1264 pelo Papa Urbano IV. Como bem sabemos, Deus costuma se revelar aos humildes e pequenos, e Ele se utilizou de uma simples jovem para lhe revelar a festa de Corpus Christi.  Segundo os registros da Igreja, Santa Juliana de Cornillon, em 1258, numa revelação particular, teria recebido de Jesus o pedido para que fosse introduzida, no Calendário Litúrgico da Igreja, a Festa de Corpus Domini.

Redação
Redação Administrator
O Milênio

Comentários