Falta de energia adia provas de concurso e gera denúncias em delegacia de Campos

Os candidatos reclamaram do calor após faltar energia e as provas foram adiadas

O caso gerou transtornos na frente da universidade - Foto: O Milênio

Candidatos do concurso da prefeitura de Quissamã que foram fazer as provas nesse domingo (16) na Universidade Cândido Mendes (UCAM), em Campos, foram surpreendidos com a falta de energia na instituição. O problema gerou reclamações por causa do calor e terminou com o adiamento das provas. O caso foi parar na Polícia Civil.

Os candidatos que assinaram a lista, poderão refazer as provas – Foto: O Milênio

Os candidatos que foram fazer os exames na UCAM, concorrem ao cargo de professor dos anos iniciais. De acordo com o grupo organizador, mais de 12 mil pessoas se inscreveram para realizar os exames, sendo que pouco mais de 2,7 mil terão que refazê-las por causa do problema. Apenas as pessoas que assinaram a lista de presença poderão participar.

A falta de energia gerou transtornos também após o adiamento das provas. Insatisfeitos, centenas de participantes ficaram na frente da universidade e buscaram explicações. Alguns foram até para a 134ª Delegacia de Polícia (Centro) e registraram boletins de ocorrência alegando que se sentiram lesados.

Um ônibus com moradores de outras cidades levou candidatos para a prova em Campos – Foto: O Milênio

“Houve um tumulto porque muitas pessoas saíram de outras cidades para fazer a prova em Campos e ela foi cancelada na hora. Tudo deveria ter sido checado antes. Muita gente reclamou do calor porque o ar-condicionado não funcionava e isso prejudicou a nossa concentração na prova”, afirmou um concurseiro que preferiu não ter o nome revelado.

As provas foram remarcadas para o dia 8 de março. A Prefeitura de Quissamã informou que os candidatos que pagaram o valor do concurso e que assinaram a lista de presença, terão a possibilidade de serem reembolsados caso não tenham mais interesse em participar das provas. Procurada pela equipe de reportagem do jornal O Milênio, a UCAM ainda não se posicionou.

Redação
Redação Administrator
O Milênio

Comentários