Ex-companheiro da namorada de Carlão é mandante do assassinato, diz polícia

Participaram da coletiva o delegado titular da 134ª DP, Bruno Cleuder, e a delegada Natália Patrão, que é responsável pelas investigações do crime.

Foto: Reprodução Jornal Terceira Via/ Arquivo pessoal

Durante uma entrevista coletiva realizada na tarde desta quarta-feira (4), na Delegacia do Centro de Campos, a Polícia Civil passou detalhes sobre as prisões dos suspeitos de terem envolvimento na morte de Carlos Alberto Luiz Ritter, mais conhecido como Carlão, na última quinta-feira (28). De acordo com a delegada responsável pelo caso, Natália Patrão, a motivação do crime foi passional: Carlão estaria namorando uma mulher, que também namorou o mandante do crime durante dois anos.

Carlão foi morto a tiros no bairro Nova Brasília, após ter sido chamado no portão da casa onde morava. Um dos presos é apontado como mandante do crime e o outro teria levado o assassino até a casa da vítima. A delegada disse ainda que o assassino de Carlão foi identificado, mas ainda não está preso. A dupla foi localizada após a polícia conseguir ter acesso às imagens do dia do crime. “Conseguimos imagens que mostram uma motocicleta fazendo o transbordo do garupa da motocicleta para dentro de um HB20 branco. Após refazer todo o trajeto tanto do HB20, quanto da motocicleta, os policiais chegaram a casa do condutor da motocicleta, em Guarus. Em frente a casa dele, eles conseguiram imagens do próprio HB20 antes do crime e depois do crime no local deixando o condutor da motocicleta e depois do crime também tendo contato”, explicou a delegada

A delegada contou que após realizar buscas nas casas dos presos, um capacete que apareceu nas imagens foi localizado na residência de um deles. Os policias também encontraram a blusa que aparece nas imagens após o crime e uma calça que foi usada no dia em que o assassino foi conduzido para a casa da vítima. O suposto mandante não se pronunciou, o outro informou que foi contratado por R$ 200,00 para levar o assassino ao local, mas disse também que não sabia o que iria acontecer.

Os dois serão transferidos para o presídio Carlos Tinoco da Fonseca e vão responder por homicídio qualificado.

Redação
Redação Administrator
O Milênio