Ex-aluno da UENF, em Campos, é selecionado para doutorado em Harvard

Há apenas oito anos, o então estudante de ensino médio Hemanoel Passarelli não imaginava o quanto a sua vida mudaria em tão pouco tempo. Natural de Itaocara (RJ), ele pisou pela primeira vez na UENF em 2014, em uma visita de sua escola ao campus e, a partir daí, não parou mais: no ano seguinte ingressou no bacharelado em Ciências Biológicas da UENF, formou-se em 2018, emendou no doutorado em Bioinformática na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e, agora, está prestes a ingressar na Universidade de Harvard, nos Estados Unidos.

Ele obteve uma bolsa Fulbright para realizar parte de seu doutorado em Harvard, a partir de agosto deste ano. “A Fulbright é um dos maiores programas de intercâmbio do mundo, que financia o intercâmbio de alunos de diversos países com os Estados Unidos da América. Cada país possui uma comissão que avalia o desempenho acadêmico, projeto proposto e perfil do futuro bolsista”, explica Hemanoel, que desde 2018 é doutorando na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

A bolsa é na modalidade Doctoral Dissertation Research Award (doutorado sanduíche). “Alunos de diversas áreas do conhecimento concorrem à bolsa. Por exemplo, eu me insiro no campo de ciências biológicas e tenho colegas graduados em música, ciências sociais, química, etc.”, conta. “O processo seletivo se iniciou no meio do ano passado (2021), mas obtive a resposta oficial apenas em março deste ano (2022). Este processo engloba uma etapa de “análise de mérito”, seguida por outra etapa de entrevistas”.Hemanoel terá como orientador em Harvard o pesquisador William Hanage, do departamento de Epidemiologia e membro do corpo docente do Center for Comunicable Disease Dynamics (CCDD), um dos principais pesquisadores em estruturas populacionais bacterianas e evolução de microrganismos. Hanage recebeu o prêmio Fleming Prize de pesquisa em Microbiologia e o Prêmio ICAAC Young Investigator 2012 da Sociedade Americana de Microbiologia.Segundo Hemanoel, sua passagem pelo curso de graduação na UENF foi crucial para que ele tivesse sucesso na vida acadêmica. “Sempre enxerguei com muito respeito e carinho tudo que a UENF me proporcionou. A UENF foi essencial para a minha formação como pesquisador. Hoje, prestes a realizar este sonho de conduzir parte do meu doutorado em Harvard, sou ainda mais grato à universidade que me abriu tantas portas”, afirma.

A escolha pela UENF veio depois de uma visita ao campus com o professor de Biologia, no último ano no ensino médio. “Me recordo até hoje da sensação que tive ao pisar nos solos da UENF pela primeira vez: eram vários prédios enormes separados por área do conhecimento. Eu vi naquele lugar uma oportunidade única de ficar imerso em uma área específica e mudar de vida. Após retornar da expedição, eu já sabia que eu queria estudar ali – não existia segunda opção”, conta Hemanoel, que sempre estudou em escolas públicas em Itaocara: do fundamental ao segundo ano do ensino médio, estudou no Colégio Estadual Teotônio Brandão Vilela. Já o último ano do ensino médio foi cursado no Colégio Estadual Frei Tomás.Desde o início a graduação, Hemanoel tinha o desejo de atuar na área de pesquisa. Em 2016, ele conseguiu sua primeira bolsa de Iniciação Científica, no Laboratório de Bioinformática, junto ao professor Thiago Venâncio. “A minha pesquisa envolvia analisar o DNA de bactérias resistentes aos antibióticos que foram isoladas durante um surto hospitalar”, diz Hemanoel, que publicou diversos trabalhos nesta área, muitos premiados. O trabalho desenvolvido para a monografia se tornou capa da edição de outubro da FEBS journal, uma revista científica importante para a sua área.“A minha experiência no grupo do Dr. Thiago foi fundamental para que eu pudesse ver a biologia com outros olhos e enxergar novas oportunidades”, conta. “Desde que entrei no laboratório, percebi que o ambiente era muito internacionalizado – um ponto essencial quando se busca competitividade no mercado de trabalho. Foram momentos de troca de experiências e habilidades. Eu aproveitei a UENF em todos os aspectos. Além da pesquisa, também fui monitor de disciplinas como Biologia Celular, Bioquímica I e Bioquímica II”.

Em 2018, ele defendeu sua monografia e começou a se preparar para o mestrado em Bioinformática na UFMG. Mas, ao invés de conseguir uma vaga no mestrado, Hemanoel foi convidado pela UFMG a ingressar diretamente no doutorado. “Após o processo seletivo de aproximadamente uma semana, recebi o convite para o doutorado direto graças ao arcabouço científico que desenvolvi durante a graduação”, conta. Segundo ele, a bolsa em Harvard vai permitir o contato com diversos pesquisadores-chave em sua área de pesquisa e expandir seus horizontes quanto ao planejamento e execução de projetos. “Além disso, aprimorarei o arcabouço teórico que venho levantado em minha tese de doutorado em evolução da resistência bacteriana aos antibióticos. Esta bolsa, certamente, também contribuirá para a internacionalização da ciência brasileira e ajudará na construção de pontes entre ótimos grupos de pesquisas”, diz.

Desde a graduação, Hemanoel tenta entender um pouco melhor como bactérias podem ser agrupadas ao nível genômico. “A ideia geral é que nem todas as espécies bacterianas são maléficas ao ser humano. Algumas espécies possuem um interesse clínico por serem resistentes a antibióticos de última geração. Logo, estas espécies impõem uma ameaça ao sistema de saúde e à sociedade. No meu trabalho, utilizo algoritmos para montar e analisar o genoma destas bactérias, caracterizar genes de resistência aos antibióticos e avaliar como podemos agrupar geneticamente tais bactérias para identificar, em uma população, quais subgrupos possuem um maior potencial patogênico. Estas análises são feitas computacionalmente”, explica Hemanoel, que ficará nove meses em Harvard, tempo que também levará para finalizar o doutorado no Brasil.

Comentários