Em tempos de pandemia, o Papai Noel é virtual

De acordo com um estudo, 43% dos associados terão o Papai Noel de forma virtual, devido à pandemia da Covid-19

O carinho que as crianças transmitem é o que transforma o trabalho de Anicésio Leônidas de Carvalho em alegria e felicidade. Há sete anos ele representa o Papai Noel no Shopping Riosul, em Botafogo, zona sul do Rio. Ele lembra que até o Natal de 2019 era “muito bacana” o contato com as crianças, e receber um sorriso e um abraço sentado no trono do Papai Noel.

“A criança vê o Papai Noel de longe, vem correndo e pula no pescoço da gente, dá aquele abraço. E o abraço e o carinho de uma criança é uma coisa muito especial, isso me passava uma felicidade muito grande, por ver a alegria e a inocência da criança. É muito bom”, disse.

Aos 74 anos, o ator de Papai Noel, que mora em Curitiba, disse que nem passava por sua imaginação chegar “a uma era dessa, de pandemia”, sendo obrigado a mudar a produção de seu trabalho, que hoje não pode mais ser presencial. Agora, ele conta com a tecnologia para se aproximar de seguidores fiéis e ávidos por fazer pedidos. “Eu converso daqui [de Curitiba] com a criança e chego a me sentir perto dela, que dá aquele sorriso, e vem aquela alegria de conversar, vendo o Papai Noel”, disse.

Até o dia 24 de dezembro, o contato das crianças com o Papai Noel vai ocorrer por meio de lives transmitidas por um telão, das 13 às 21h. Os registros fotográficos terão, inseridos digitalmente, um cenário com o trono e decoração típica natalina. Tudo conforme o protocolo, com regras de segurança e higiene. “Eu, aqui em Curitiba, e a criança, no Shopping Riosul. Para mim, é uma coisa inédita. Na minha concepção, o mundo mudou de verdade e muito. A tecnologia está muito adiantada”.

De acordo com levantamento da Associação Brasileira de Shoppings Centers (Abrasce), 43% dos associados terão o Papai Noel de forma virtual, devido à pandemia da Covid-19. Eles seguem o protocolo sanitário estabelecido pela entidade, em parceria com a área de consultoria do hospital Sírio-Libanês, uma das referências em saúde no país.

Pelo menos 24% dos shoppings ainda avaliam uma estratégia viável para o apresentar o Papai Noel e 19% não pretendem contar com o bom velhinho neste ano.

Segundo a Abrasce, aproximadamente 14% dos empreendimentos terão um Papai Noel isolado do público ou um boneco dele disponível para fotos. Para o presidente da Abrasce, Glauco Humai, o momento é de reforçar a confiança que o consumidor tem nos shoppings e recebê-lo com segurança para fazer suas compras, evitando fluxo intenso de pessoas.

Redação Administrator
O Milênio

Comentários