Desembargador derruba decisão que obrigava a entrega do hospital de campanha de Campos

O desembargador afirmou que não é mais necessária a entrega do hospital de campanha

O hospital de campanha frustrou a população campista que aguardava pela disponibilização de mais leitos - Foto: Divulgação/Arquivo

A decisão que obrigava o Governo do Estado do Rio de Janeiro a concluir as obras do hospital de campanha de Campos, foi derrubada pelo Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro. A decisão foi tomada pelo desembargador Lindolpho Morais Marinho, da 16ª Câmara Cível.

Com a mudança, o hospital de campanha pode ser desmontado. A liminar que obrigava o governo a concluir as obras, trazia um bloqueio de aproximadamente R$ 400 milhões provenientes dos royalties, mas o desembargador considerou que o bloqueio não poderia continuar já que o governo estadual está com dificuldades financeiras.

O desembargador também afirmou na decisão que o governo estadual apresentou evidências de que não é mais necessária a conclusão do hospital de campanha. “O agravante (Governo do Estado) trouxe evidências, por meio de dados técnicos, que a construção do citado hospital de campanha não se faz mais necessária, diante da diminuição dos casos de contaminação, o que implicou redução da necessidade de leitos para tratamento dos pacientes”, disse.

Redação
Redação Administrator
O Milênio