Com mudanças, lockdown é prorrogado em Campos

As medidas que terminariam nesta segunda-feira (25), foram prorrogadas até o dia 1º de junho

Foto: Divulgação/Supcom

O sistema de lockdown foi prorrogado por mais uma semana em Campos. Diferentemente do decreto anterior, este, que prorroga a medida até o dia 1º de junho, flexibiliza o funcionamento de algumas lojas do comércio.

Segundo a decisão que foi divulgada neste sábado (23) no Diário Oficial do município, estão autorizados a funcionar no sistema take away (leve embora) lojas de autopeças, materiais de construção, artigos de embalagens e tecidos/aviamentos. As entregas de mercadorias em domicílio, no caso de lanchonetes com motoboys, poderão ultrapassar o horário das 23 horas. Também estão autorizadas a funcionar todos os serviços de saúde, como hospitais, clínicas, laboratórios, clínicas de medicina do trabalho e estabelecimentos congêneres, inclusive distribuidores de produtos médicos e EPI’s.

Outras medidas que estavam em vigor desde o dia 18 deste mês, vão continuar valendo, por exemplo, o toque de recolher das 23 horas até às 5 horas, os cidadãos só podem sair nas ruas para comprar alimentos ou remédios, idas a unidades de saúde ou ao trabalho, além de comprar produtos em lojas autorizadas a funcionar no sistema take away. Continua permitido o funcionamento de: hipermercados, supermercados, mercados, feiras livres, açougues, peixarias, hortifrutigranjeiros, quitandas e centros de abastecimento de alimentos; lojas de venda de alimentação para animais e clínicas veterinárias; distribuidores de gás; lojas de venda de água mineral;
padarias; postos de combustível; farmácias; bancos; lotéricas; bares, restaurantes e estabelecimentos congêneres sediados no interior de hotéis,
pousadas e similares, que deverão funcionar apenas para os hospedes e colaboradores; oficinas mecânicas, borracharias, conserto de bicicletas e empresas de inspeção e perícias veiculares; bancas de jornal, exclusivamente para comercialização da mídia impressa. Os estabelecimentos devem seguir as medidas de segurança recomendadas pelas autoridades de saúde, para evitar a propagação do coronavírus.

Em caso de descumprimento das medidas, estarão sujeitos a aplicação das multas previstas na legislação e a adoção de medidas administrativas punitivas, inclusive a abertura de processo administrativo para cassação do alvará de funcionamento do estabelecimento.

Redação
Redação Administrator
O Milênio