Com as atividades paralisadas, Americano completa 106 anos de história

Por meio das redes sociais, torcedores celebram o aniversário do clube

Foto: Arquivo

Em meio a um período inusitado por causa da crise mundial provocada pelo coronavírus, o Americano completa 106 anos de história nesta segunda-feira (1º). Por meio das redes sociais, torcedores celebraram o aniversário do clube.

Diferentemente dos anos anteriores, desta vez não terá festa já que não pode haver aglomeração. Com as atividades paradas temporariamente, o alvinegro tenta fugir do cenário negativo e definir planos para o futuro. O clube tem uma nova diretoria que é comandada pelo presidente Vagner Xavier, que pretende fazer com que o Glorioso consiga evoluir quando o futebol retornar.

“É com muita honra que aceitei esse desafio de ser presidente do Americano e estou muito orgulhoso disso. O torcedor pode esperar uma gestão séria e voltada exclusivamente para o clube nestes próximos três anos. Os desafios são grandes, mas o objetivo é seguir o hino e fazer o Americano crescer a cada ano”, disse o presidente.

Entre os desafios citados pelo dirigente estão a conclusão do Campeonato Estadual de 2020. O clube aguarda a definição da Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj) para concluir a competição dentro de campo. Ainda resta uma partida para o Alvinegro, que matematicamente já escapou da possibilidade de rebaixamento.

História – Contam os historiadores, que o surgimento do Americano ocorreu por conta de um amistoso contra o América, então um dos principais times do estado. Ao longo desses 106 anos, o Alvinegro se tornou o Maior do Interior do Rio de Janeiro devido a sua superioridade no Campeonato Campista, à época o mais forte entre todas as competições disputadas fora da Região Metropolitana.

Exemplos desta grandeza e diferença para os demais rivais são mostrados nas décadas de 1960 e 1970, quando o Americano conquistou 12 títulos campistas em 13 anos, inclusive a sequência de nove consecutivos entre 1967 e 1975. Na década de 1980 teve mais nove conquistas seguidas: no Campeonato do Interior (1985 a 1993) já com o Rio de Janeiro unificado com a Guanabara.

À nível nacional, o Alvinegro em 1987 trouxe mais dois troféus para sua imensa galeria: o Brasileiro de Seleções, representando o Rio de Janeiro, e o Campeonato Brasileiro do Módulo Azul. Já nos anos 1990 e 2000 estendeu a fama em território nacional, sendo carrasco em diversas vezes dos grandes clubes da capital, que sempre temiam jogar no estádio Godofredo Cruz, em Campos. Foi em uma partida dessa contra o Vasco, que o clube conquistou a Taça Guanabara de 2002. No mesmo ano também foi campeão da Taça Rio. A última conquista foi a Copa Rio de 2018.

Redação
Redação Administrator
O Milênio