Coluna Nutrindo Conhecimento: entendendo a reeducação alimentar

Na última postagem falei que iria abordar a reeducação alimentar como estratégia para perda de peso. Mas, no que consiste?

A reeducação alimentar tem por objetivo a mudança dos hábitos alimentares. É uma maneira de se alimentar de modo saudável, reduzindo o consumo de alimentos industrializados e ultra processados. São priorizados os alimentos ricos em fibras, vitaminas, minerais e outros nutrientes que são essenciais para o bom funcionamento do organismo, para reprodução celular e fortalecimento da imunidade, além de diminuir a inflamação causada por aqueles alimentos.

Esse método não consiste em uma dieta por tempo determinado, mas numa mudança de pensamento sobre a forma de se alimentar. O ponto principal da reeducação é modificar a qualidade da alimentação no que diz respeito ao seu valor nutricional, objetivando melhora na qualidade de vida, redução dos níveis de colesterol e glicose, diminuição de circunferência abdominal, melhora na sensibilidade à insulina, controle da pressão arterial, redução do peso corporal, aumento da disposição para atividades, melhora na qualidade do sono, controle da ansiedade, melhora da função intestinal entre outros benefícios.

Por não se tratar de uma dieta restritiva e sim mudança de hábitos, não há a restrição de alimentos, porém, para que haja o estabelecimento de novos hábitos é necessário reduzir o consumo de alguns alimentos como refrigerantes, biscoitos, pizzas, doces em geral, frituras, pães, bolos e outros alimentos.

A reeducação alimentar leva também à mudança de comportamento com relação aos alimentos, ao equilíbrio na hora das refeições, às trocas saudáveis e a escolhas conscientes. Dessa forma, a pessoa consegue estabelecer a nova rotina alimentar de forma mais sustentável, com baixa possibilidade de retornar aos hábitos anteriores.

São valorizados outros aspectos como: mastigação, local das refeições, horários das refeições, rotina de sono, ingestão de água, prática de atividade física; que vão contribuir para o processo de reeducação alimentar.

Apesar de não ser uma dieta restritiva, é fundamental o acompanhamento de um profissional de nutrição para que haja a ingestão adequada de todos os nutrientes e se necessário a suplementação dos mesmos.

Enfim, se o que você deseja é uma melhora na qualidade de vida, a reeducação alimentar é com certeza um excelente método, trazendo resultados positivos para a sua saúde de forma sustentável e sem extremismos.

Viviane Barreto Contributor
O Milênio

Comentários