Coluna Analisando: por que o baile não pode esperar?

Foto: Divulgação

A pandemia do coronavírus alterou várias atividades no dia a dia da população mundial. Uma delas foi o cancelamento ou adiamento de diferentes tipos de eventos como festas de formatura ou aniversário com grande número de convidados, torneios esportivos, conferência, confraternizações, entre outros.

Além desses eventos que foram cancelados, também estão os bailes que costumam atrair centenas de jovens. O problema é que em alguns lugares, esses tipos de festas continuam acontecendo de forma clandestina em meio à pandemia, o que contraria as recomendações dos órgãos de saúde já que causam aglomeração. Na região Norte do Estado do Rio de Janeiro, as forças de segurança têm feito fiscalizações para impedir a realização desses tipos de eventos. Em Campos, São João da Barra, São Francisco de Itabapoana e São Fidélis, se tornou comum ver esse tipo de situação.

É compreensível que as pessoas estejam ansiosas para retornarem a se divertir, e curtir uma festa é uma boa opção de lazer, mas é necessário esperarmos um pouco mais. Com certeza, ainda é cedo para realizar esse tipo de aglomeração já que nesses eventos, os participantes não usam máscaras de proteção facial por causa das comidas e bebidas, entre outros motivos. Os especialistas de saúde consideram que é importante esperarmos a chegada da vacina para que os bailes voltem a ser realizados.

Quanto menos eventos com aglomerações forem feitos agora, menos tempo a pandemia do coronavírus tende a durar. Se essa questão for respeitada, as festas poderão voltar a acontecer de forma mais rápida, sem ter que se preocupar com contágio e ações policiais que suspendem qualquer tipo de aglomeração. Mas não podemos pensar que tudo irá se normalizar de um dia para o outro, já que a liberação da vacina contra a Covid-19 é essencial para que todos os processos sejam totalmente normalizados.

Jonatha Lilargem
Jonatha Lilargem Administrator
O Milênio