Campos e Macaé permanecem com saldos positivos de contratações em julho, aponta Firjan

Com saldo positivo de 1.649 vagas abertas, Macaé ficou atrás apenas da capital do estado na geração de empregos em julho – o melhor mês em contratações desde novembro do ano passado. Os dados são da plataforma Retratos Regionais da Firjan, elaborada a partir dos números do Caged. O estudo mostrou ainda que Campos, depois de uma forte alta de contratações em maio, manteve o crescimento de junho (+320) para julho (+406). A retomada segue a mesma tendência em todo o Norte Fluminense, que registrou saldo positivo em oito das nove cidades da região.

“Macaé comprova mais uma vez a importância do mercado de petróleo e gás não só para a região, como para o estado do Rio. E com o programa de revitalização dos campos maduros, a tendência é de reflexos ainda mais positivos nos próximos anos”, disse o presidente da Firjan Norte Fluminense, Francisco Roberto de Siqueira.

A alta em Macaé foi puxada pela Indústria e Construção (+869) e Serviços (+683). Entre as atividades que mais geraram empregos estão “Montagem de instalações industriais e estruturas metálicas” (+336) e “Manutenção e reparo de máquinas e equipamentos da indústria mecânica (+195). Já em Campos, maior município do interior, a alta foi puxada pelo setor de Serviços (+277), seguido de Indústria e Construção (+104). A maior contratante foi a atividade de “Restaurantes e outros estabelecimentos de serviços de alimentação e bebidas” (+93).

“Em 2021, Campos tem apresentado um nível de contratações equilibrado entre os grandes setores econômicos, o que indica que a retomada econômica tem sido observada de forma disseminada no setor produtivo. E essa diversidade traz boas perspectivas para o ambiente de negócios do município”, disse Jonathas Goulart, Gerente de Estudos Econômicos da Firjan.

Noroeste Fluminense

Já o Noroeste Fluminense foi a segunda região que mais recuperou empregos perdidos no auge da pandemia, entre março e julho de 2020. A região, que havia fechado 1.757 vagas entre março e julho de 2020, abriu 2.556 novas oportunidades de agosto do ano passado a julho deste ano – num percentual de recuperação de 146,0%. Este ano, a retomada foi puxada pela Indústria e Construção, seguida de Serviços e Comércio.