Campos: doação de órgãos de estudante morto em acidente salva quatro pacientes

Thiago Almeida do Nascimento completaria 19 anos no dia em que morreu

Thiago morreu no último dia 15 - Foto: Divulgação

Depois da morte do jovem Thiago Almeida do Nascimento, a família decidiu doar os órgãos do rapaz. O ato de solidariedade salvou a vida de quatro pessoas que dependiam do transplante.

O doador completaria 19 anos no último dia 15 de agosto, quando morreu em um acidente na localidade de Dores de Macabu, em Campos. Thiago era estudante do Instituto Federal Fluminense (IFF) e depois do gesto solidário, foi homenageado por vários colegas nas redes sociais.

“Meu filho era um jovem cheio de vida, responsável e com muitos sonhos. Trabalhava no sítio da família ajudando e entregando leite e a noite ia para Campos onde cursava o último ano do curso de Mecânica no IFF. Este ano, conseguiu o primeiro emprego, em Campos, onde comprou a moto. No sábado (15), ele saiu para cortar o cabelo próximo de casa, quando acabou batendo na traseira de um reboque, que aparentemente não estava sinalizado. Ele foi socorrido para o Hospital Ferreira Machado, onde foi submetido na mesma noite a uma cirurgia complicada que levou mais de oito horas. Três dias depois ele teve a morte encefálica confirmada. Foi aí que a equipe do NF-Transplantes conversou comigo e o meu marido Juarez. Inicialmente, fiquei relutante. Mas, depois pensei na dor das famílias que aguardavam pela doação de um órgão e então, resolvemos autorizar a captação de órgãos”, explicou a mãe, a técnica de enfermagem Alexandra Chagas de Almeida.

A captação de órgãos aconteceu na quinta-feira (20) onde foram captados coração , rins e fígado que salvaram quatro vidas, que estavam na fila do Cadastro Único, no Rio de Janeiro. O NF-Transplantes este ano foi responsável pela captação de oito fígados, dois corações e 16 rins, no período de janeiro a agosto, beneficiando 26 pessoas. No ano passado foram autorizadas captações de quatro córneas, sete fígados e 16 rins.

“O processo de acolhimento e entrevista para a doação obedece a critérios técnicos, informações e esclarecimentos sobre as dúvidas da família sobre o estado de morte encefálica; e abordagem humanizada, respeitando a dor da perda, com calma e paciência. Para isso, a equipe passa por treinamentos regulares e faz avaliações internas de cada caso, positivo ou negativo. O sucesso deve-se ao envolvimento de todo o hospital, desde a portaria às equipes técnicas multidisciplinares das UTIs envolvidas no processo”, explica Cosmelli.

Captação

No dia 17 de julho, o NF-Transplantes também realizou outra captação de órgãos do jovem Magno Monteiro Oliveira, 34 anos, que foi vítima de acidente de trânsito em São Francisco do Itabapoana e a família autorizou a captação de órgãos. O gesto de amor da família acabou beneficiando a mãe, Maria Isabel dos Santos Monteiro de Oliveira, 65 anos, que há mais de 15 anos fazia hemodiálises e foi beneficiada pelo rim do próprio filho. Maria Isabel estava na fila do Cadastro Único há mais de 10 anos. Mais três pessoas foram beneficiadas com o coração, rins e o fígado.

Redação
Redação Administrator
O Milênio