Campos: cadela é atacada por pitbull e idoso fica ferido ao tentar defendê-la

Fotos: Arquivo pessoal

Uma cadela foi atacada nesta semana por um cachorro da raça pitbull no portão de casa no Parque Tropical, em Campos. Ela estava com um idoso de 66 anos e foi mordida no pescoço. O animal se recupera em casa, e o dono também sofreu ferimentos ao defender a cadelinha e salvá-la.

Em entrevista ao jornal O Milênio, o idoso Jair Gonçalves contou que por volta das 8h, ele foi levar o lixo para fora, acompanhado da cadelinha Shera, de 9 anos, mas logo apareceu o cachorro da raça pitbull, que a atacou. Jair mora com a esposa e o filho, sendo que os dois foram ajudar o dono a salvar a cadela de estimação da família. Depois de muita luta, o pitbull foi embora. Apesar do salvamento, houveram gastos, danos psicológicos e revolta por parte da família. “É muita irresponsabilidade destes donos de cachorros desta raça tão perigosa deixarem eles soltos nas ruas, levando perigo não só para os nossos animais, mas principalmente para as nossas crianças. Ao defender a Shera do pitbull, acabei caindo na calçada e machuquei minhas pernas”, disse o dono.

Questionado sobre as condições do cachorro que os atacou, Jair informou que o animal não tinha coleira, mas parecia ser bem tratado e não parecia estar abandonado, e por isso, a família acredita que o cachorro tenha um dono. Shera chegou a ter muita febre, mas nesta sexta-feira (24) já apresentou melhora, em resposta aos medicamentos que vem tomando.

A filha do casal, Catherine Gonçalves, não mora com os pais e ao ser avisada sobre o caso, foi para a residência da família e se assustou com a cena que encontrou e expôs a situação em uma rede social. “Foi um dos dias mais assustadores da minha vida. Minha cadela foi atacada por um pitbull em frente à casa dos meus pais, onde ela vive. Deus quis que eu não presenciasse isso, pois nem sei qual seria a minha reação. Todo mundo que me conhece sabe o tamanho do amor que tenho por Shera. Ela é mais que um animal de estimação, ela é minha filha, ela é da minha família e está há quase 10 anos comigo. Graças a Deus e a coragem dos meus pais e do meu irmão, ela está viva. Eles enfrentaram o animal, se arriscaram, se machucaram e impediram que o pior acontecesse. Quando eu cheguei correndo assim que soube, vi os dois sangrando e machucados: meu pai e minha cachorrinha. Eu só sabia chorar, mas também agradecer a Deus por estarem vivos”, concluiu.

A família chegou a ligar para a Polícia Civil e para o CCZ, mas ambos informaram que para dar andamento ao caso, precisariam de uma foto do pitbull. Com isso, nenhuma providência foi tomada.

A Lei de Contravenções Penais considera crime “deixar em liberdade, confiar à guarda de pessoa inexperiente, ou não guardar com a devida cautela animal perigoso”. A pena é de dez dias a dois meses de prisão ou pagamento de multa.

Remédios que Shera está precisando tomar para se recuperar

Redação Administrator
O Milênio

Comentários