Cadela da Guarda Municipal doa sangue e salva cão com problemas renais em Campos

A imagem mostra a cadela com uma placa de doadora de sangue #PraCegoVer - Foto: Divulgação

Doar sangue salva vidas e, neste final de semana, foi a vez da cadela Kyra, do Grupamento de Operações com Cães (GOC) da Guarda Civil Municipal (GCM) de Campos, doar sangue para Lucky, um cão com problemas renais. Kyra tem 3 anos e 10 meses, é da raça Pastor Belga Malinois e faz parte do grupo de cães do GOC. O animal ganhou destaque entre a equipe veterinária já que salvou a vida de Lucky.

O procedimento foi realizado em uma clínica veterinária de Campos e Kyra foi levada por dois agentes do GOC. Fazem parte ainda do grupamento os cães Mel, que também é doadora, Baru, Iron e Luna. Os cães são treinados e participam também de operações conjuntas com as Polícias Civil e Militar, além da Polícia Rodoviária Federal (PRF), contribuindo para o combate à criminalidade. 

A médica-veterinária do GOC, Francimara de Araújo, explica que, para ser doador, os cães também precisam seguir alguns critérios, como ter idade entre 1 ano e 8 meses, pesar no mínimo 27 quilos, ter temperamento dócil, estar devidamente vacinado, vermifugado e em boas condições de saúde, além do controle de pulgas e carrapatos e respeitar o intervalo de três meses entre uma doação e outra. 

– Até mesmo entre os animais doar sangue é um gesto de amor que pode salvar vidas. As transfusões de sangue são essenciais no tratamento de animais com doenças que levem a anemias severas; em procedimentos cirúrgicos e/ou acidentes com grande e perda de sangue; em casos de hemorragias graves entre outros. Os cães do GOC, através de nosso trabalho de prevenção e bem-estar, encontram-se em condições de serem doadores, principalmente, as cadelas Kyra e Mel, nossas heroínas – explica a médica-veterinária.

Para o coordenador do GOC, Ítalo Augusto, é muito gratificante para o GOC e para a GCM poder contribuir auxiliando em uma doação de sangue. “Nossos cães têm uma rotina diária de cuidados e treinamentos específicos para o trabalho que desempenham e poder sair desta rotina para auxiliar outro animal e, principalmente, doar sangue nos enche de alegria. É necessário fazer todos os procedimentos para que a doação seja possível, pois o cão doador precisa ser compatível com o cão que receberá a doação”, informa  Ítalo, lembrando que, assim como a doação dos seres humanos, com os cães também é necessário respeitar o prazo para uma nova doação, que é de três meses. 

Redação Administrator
O Milênio

Comentários