Apreensão de cocaína cresce 321% nas estradas do Estado do Rio durante a pandemia

A apreensão de cocaína nas estradas do Estado do Rio de Janeiro aumentou 321% na pandemia. Do dia 13 de março até a semana passada, foram apreendidos 1.295kg da substância, contra 307kg no mesmo período em 2019.

Parte dessa alta se explica também após a apreensão de uma carga de meia tonelada interceptada no início do mês pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) na capital fluminense. Em relação a maconha, foram apreendidos 11.941kg durante a quarentena nas rodovias federais no estado, uma redução de cerca de 25% em relação ao mesmo período do ano passado, mas, ainda assim, um volume expressivo.

Os altos índices de apreensão de drogas nas rodovias mostram que, apesar da redução de fluxo de veículos e atividades econômicas que margeiam as vias, as medidas de restrição impostas pelo novo coronavírus não frearam a ação dos criminosos.

— Houve redução do fluxo de veículos nas rodovias durante a pandemia, mas o crime organizado não parou — diz o chefe do serviço de operações da PRF no Rio, Rômulo Silva.

Nos últimos 20 meses, a PRF e a Polícia Federal (PF) apreenderam juntas mais de 40 toneladas de drogas, o que dá uma média de meia tonelada de entorpecentes interceptados por semana.

O chefe de operações da PRF explica que o aumento das apreensões está relacionado ao investimento em estratégias de inteligência, que aumentaram a eficácia das abordagens a veículos. Segundo Silva, a Rodovia Presidente Dutra é a principal via utilizada por traficantes para entrar com drogas no estado, por ligar Rio e São Paulo a estados do Sul do país, que fazem divisa com países da América do Sul. Para tentar driblar a polícia, no entanto, criminosos têm utilizado outras vias. — A PRF verificou que, para tentar dificultar a fiscalização, as quadrilhas tendem a variar as rotas, então, utilizam vias como a BR-040 ou a BR-101. As apreensões têm aumentado nesses corredores — explica.

Fonte: Extra Online

Redação
Redação Administrator
O Milênio