Após afirmar que ora pela morte de Paulo Gustavo, pastor se desculpa e será processado

Foto do ator Paulo Gustavo #PraCegoVer

Após grande repercussão negativa, o pastor José Olímpio, da Assembleia de Deus de Alagoas que declarou na última semana que orava pela morte do ator Paulo Gustavo, pediu desculpas aos que se sentiram ofendidos. O ator está internado no Rio de Janeiro há mais de um mês e luta para sobreviver ao coronavírus.

“Peço desculpa, pois nunca foi intenção do meu coração ferir, ofender ou machucar a nenhum dos ofendidos (que são aos milhares), a começar do ator Paulo Gustavo, que foi atingido diretamente, passando por seus familiares, amigos, admiradores e muitos fãs, pois o mesmo é uma pessoa querida no mundo artístico. A minha insensatez foi tentar defender a honra do meu Deus, muitas vezes ultrajada de muitos modos e de muitas maneiras e por muitas pessoas, esquecendo-me eu, de que Deus, o Criador do céu e da Terra não precisa de quem defenda a sua honra”, escreveu o líder religioso, que também disse. “quão tolo eu fui! Por ter escrito a sandice que escrevi, mesmo sem no meu íntimo desejar a morte de ninguém, pois apesar das minhas fraquezas, sou cristão convicto”.  O pastor também afirmou que colocou o cargo que exerce à disposição da Mesa Diretora de Convenção dos Ministros da Igreja.

A publicação que causou grande revolta entre fãs, amigos, entidades LGBTQIA+ e familiares do ator logo foi excluída e estava em uma rede social do pastor.  “Esse é o ator Paulo Gustavo que alguns estão pedindo oração e reza. E você vai orar ou rezar? Eu oro para que o dono dele o leve para junto de si”, declarou José Olímpio que chegou a publicar uma foto do artista caracterizado para um dos personagens em um filme, onde aparece atrás de um crucifixo.

O Grupo Gay de Alagoas (GGAL) emitiu uma nota afirmando que “as instituições LGBTQIA + e defensoras dos direitos humanos” do Estado vão abrir um boletim de ocorrência (BO) contra o pastor, além de acionarem também a Ordem dos Advogados do Brasil em Alagoas (OAB/AL) e o Ministério Público da Unidade Federativa para mover uma ação civil contra o religioso. “Em virtude dos comentários discriminatórios proferidos pelo pastor José Olímpio, as instituições LGBTQIA + e defensoras dos direitos humanos de Alagoas, farão um B.O na próxima terça-feira (20). Esse será o primeiro passo para uma série de atitudes tomadas contra o pastor José Olímpio – líder da Assembleia de Deus em Alagoas. Em seguida, as instituições estarão acionando o Ministério Público e a Ordem dos Advogados do Brasil em Alagoas (OAB/AL) , que serão acionados para moverem uma ação civil pública contra o líder religioso. Estes são tempos sombrios! O Grupo Gay de Alagoas (GGAL) repudia a postura adotada pelo pastor José Olímpio e pedem um posicionamento das instituições religiosas envolvidas no caso”, disse parte da nota.

Redação
Redação Administrator
O Milênio

Comentários