Após acidente de moto, família de professor de Campos precisa de doações para tratamento

Foto: Arquivo pessoal

O professor de dança, José Augusto da Silva Moço, está internado desde a última terça-feira (23), no Hospital Ferreira Machado, em Campos. Depois de sofrer um acidente de moto, ele fraturou a bacia e precisa passar por uma cirurgia que será feita pelo Sistema Único de Saúde (SUS) no Rio de Janeiro. Ele está aguardando para ser transferido para uma unidade da capital.

Outra preocupação da família de José Augusto é com o cenário depois que a cirurgia for realizada. Segundo a esposa do professor, Kelly Oliveira, os gastos pós-cirúrgicos serão altos e a família não tem condições de arcar com as despesas. Amigos do casal criaram uma corrente que está circulando nas redes sociais, para arrecadar dinheiro que possa ajudar a família durante este período. “Ele está parado há 3 meses por causa da pandemia. Além disso, ele também é funcionário RPA da prefeitura e está com os pagamentos atrasados dos meses que já foram trabalhados. Algumas amigas  falaram que iriam criar esta corrente para ajudar”, afirmou a companheira.

A esposa do professor deu detalhes também sobre os gastos que os dois já tiveram e também sobre outras dificuldades. “Estamos aqui desde terça-feira e eu já gastei R$ 200 reais, com despesas como colchão para colocar atrás das costas dele, a minha alimentação, produtos de higiene, fraldas, porque ele está precisando usar. A minha maior preocupação é quando a gente sair daqui, porque ele vai precisar fazer fisioterapia, que é pelo SUS, mas o transporte não. A gente não tem carro. Ele vai precisar de injeção anticoagulante, que já me falaram que custa pelo menos R$ 100 reais, além dos remédios. Ele tem um filho e eu tenho dois, nós vivemos de aluguel”, concluiu. 

José Augusto estava de moto com a enteada de 7 anos, quando foi atingido por um veículo, que segundo a esposa dele, não parou para prestar socorro. A menina não sofreu ferimentos graves. No local do acidente, ela ouviu uma testemunha relatar que o motorista afirmou que não foi culpado, pois havia sido fechado por outro carro e seguiu sem ajudá-lo. Kelly afirma que, neste momento, qualquer valor ajuda e disponibilizou a conta dela da Caixa para receber as doações (2524 023 00004193- 2).

Redação
Redação Administrator
O Milênio

Comentários