Associação afirma que prejuízo do comércio pode passar de R$ 300 milhões em Campos

O comércio de Campos completou 69 dias com o atendimento presencial suspenso nesta quarta-feira (3). As atividades estão encerradas temporariamente com o objetivo de evitar um aumento no número de casos de Covid-19 no município. Vários estabelecimentos fecharam as portas definitivamente em razão da crise.

Segundo o presidente da Associação Comercial e Industrial de Campos (ACIC) Leonardo Castro de Abreu, os prejuízos podem ultrapassar R$ 300 milhões, além de provocar um desemprego no setor de aproximadamente de 30% dos comerciários e o fechamento de 40% das lojas instaladas no município. A previsão é que o retorno ao movimento normal do comércio só aconteça daqui a 8 meses.

Leonardo destacou que quando os atendimentos puderem voltar a ser de forma presencial, os empresários deverão seguir algumas orientações, como disponibilizar álcool gel no acesso ao interior da loja e controlar o acesso de clientes, além do uso obrigatório de máscara facial. Essas medidas têm o objetivo de evitar aglomerações e reduzir o número da doença.

– Infelizmente o comércio está pagando a conta, devido a desobediência da população, que não segue as orientações de saúde. O que observei na última semana é que houve uma certa flexibilização por parte do poder público, permitindo que outros setores como oficinas, consultórios, escritórios de advogados e contabilistas voltassem a funcionar desde que cumpram os protocolos da saúde. Estaríamos muito melhores em relação à reabertura do comércio se realmente a população colaborasse mais no comportamento ao atendimento dos protocolos. O que temos presenciado é que em vários bairros e distritos os moradores e os comerciantes não estão respeitando as normas de saúde, comportando como se tudo tivesse normal e colaborando para o aumento dos casos -, concluiu o presidente da ACIC.

Redação Administrator
O Milênio

Comentários