Campos: alunos do IFF são discriminados por motoristas de ônibus e perdem aulas

Alguns estudantes estão sendo barrados nos ônibus por não estarem de calça e sapato.

Alunos do campus Centro do Instituto Federal Fluminense (IFF), em Campos, têm enfrentado problemas a partir do momento em que tentam utilizar o transporte público na cidade. Muitos dos estudantes têm o direito de serem transportados de forma gratuita, mas alguns motoristas de ônibus, de forma preconceituosa, não aceitam a entrada desses jovens nos coletivos.

Alguns dos condutores não deixam algumas pessoas entrarem, apenas pelo jeito de elas se vestirem. Vários alunos têm poucas condições financeiras e acabam sendo discriminados por entrarem de short e chinelo. Mesmo usando a camisa do IFF – que é fornecida gratuitamente pela unidade escolar – alguns estudantes são barrados e acabam tendo dificuldades para voltarem para as casas em que moram, após as aulas.

De acordo com a diretoria da unidade, os que mais sofrem são os adolescentes. Alguns até ficam sem estudar por conta dos problemas enfrentados com o transporte público. “Estamos com alunos sem poder estudar e sendo desrespeitados pelos motoristas e cobradores das empresas. Algumas firmas exigem que os alunos entrem com calça e sapato, mas temos alguns alunos carentes e não fazemos esta exigência. Nós fornecemos a camisa e apesar dos alunos apresentarem o ofício na hora de entrar no ônibus, acabam sendo alvos de constrangimentos e deboches”, afirmou o diretor do campus Centro, Carlos Alberto Henriques.

O problema vem acontecendo desde que as aulas começaram, no início de fevereiro. Um jovem que estuda no IFF e que preferiu não ter o nome divulgado, sofreu com o problema pelo menos três vezes. “Não temos obrigação de irmos de calça e tênis para a escola. Como está muito calor, gosto de ir de sandália e bermuda, até porque não tenho dinheiro para comprar uma calça. É muito constrangedor ter que ouvir brincadeiras de motoristas, antes de entrar no ônibus. Já tive alguns colegas que não conseguiram entrar e tiveram que passar a noite na casa de amigos. É muito chata essa questão”, comentou.

De acordo com o diretor Carlos Alberto, o Instituto Municipal de Trânsito e Transporte (IMTT) já foi informado sobre a situação e o órgão teria feito orientações para as empresas do transporte público sobre o problema.

Cabe ressaltar que o IFF conta com ônibus escolares, mas os veículos só levam os alunos até os pontos de ônibus urbanos, para que os coletivos possam levar os estudantes para as regiões em que moram.

Procurada, a prefeitura de Campos ainda não se posicionou sobre o problema.